RECURSOS PARA A BR-319 TIVERAM QUEDA SUPERIOR A 90% NO GOVERNO DILMA



Publicado em



Depois de pedir, por meio de uma indicação, a continuação nas obras da BR-319, o deputado federal Arthur Virgílio Bisneto (PSDB) está solicitando, ao Ministério dos Transportes, informações sobre a forte queda de repasses para a BR-319 ocorrida no governo Dilma Rousseff.   O pedido está sendo feito com base em informações de que os recursos para a BR tiveram queda superior a 90% no governo Dilma, de R$ 190 milhões para R$12 milhões. “Um total descaso com a nossa região. A BR-319 é uma das mais importantes não só do Estado do Amazonas, mas de toda a Região Norte. A rodovia, hoje, enfrenta sérias dificuldades em matéria de repasses financeiros”, afirma Bisneto.  A dotação orçamentária para as melhorias e reformas na BR-319 teve queda de 94%. Os valores incluem as verbas para serviços de terraplanagem, drenagem superficial, obras de arte como a construção da ponte sobre o rio Madeira, pavimentação, sinalização e proteção ambiental, conforme informações do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi).  De acordo com o levantamento, ao longo do governo Dilma, os repasses e a dotação tiveram queda progressiva. Passaram de R$ 181,3 milhões em 2011 para R$ 8 milhões no ano passado. A queda foi de 95,6%. Até o dia 17 de junho deste ano o valor repassado para a rodovia, em 2016, estava em R$ 8 milhões.  A BR foi inaugurada em 1976 e até hoje, quarenta anos depois, está praticamente intragável. Além disso, em 2015, obras de manutenção na rodovia chegaram a ser suspensas por indícios de irregularidades, além dos embargos ambientais. Ao ligar Manaus a Rondônia em 885 quilômetros, 820 quilômetros, no Amazonas, é a via terrestre que integra a capital do Amazonas com as demais regiões do país.